The walking dead pode ser investigado por violência excessiva

Aviso: Esta notícia contém spoilers para a sétima temporada de The Walking Dead. Lê por tua própria conta e risco!




Os acontecimentos do primeiro episódio da presente temporada de The Walking Dead, série da AMC que se foca num mundo pós-apocalíptico, deixaram diversos espetadores boquiabertos, não só pelas vítimas de Lucille, o infâme bastão de Negan, Glenn e Abraham, mas também pela violência com que as mortes aconteceram, sem que tenha sido ocultado qualquer por menor macabro do acontecimento.

O impacto foi tão grande que a Ofcom, orgão britânico regulador das comunicações, foi forçada a abrir um inquérito à série, para investigar "cenas de violência extrema depois das 21 horas, e se essas cenas tinham um contexto que as justificasse," disse um porta-voz ao Digital Spy, na sequência de 10 queixas apresentadas à organização.

Longe vão os tempos onde era possível ver um corpo a ser desmembrado e derretido em ácido sulfúrico em Robocop, e o escrutínio para com os programas de televisão e mesmo filmes é cada vez mais apertado. Mas afinal, terá a série ido longe demais, ou é o público que é cada vez mais sensível a determinados aspetos da ficção?


Em outras notícias relacionadas com The Walking Dead, ficamos hoje a saber que o seu número de espetadores está em queda, tendo perdido 35% da sua audiência, do primeiro para o quinto episódio da sétima temporada.



Compartilhar Google Plus

Sobre Daniel Vasconcelos

    Comentar com Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

No trecho destacad