One Piece Pirate Warriors - Análise


Fala galera Chama Gamer trago hoje uma analise do game One Piece: Pirate Warriors

A nossa infância ficou marcada por diversos desenhos animados, séries e animes, por isso mesmo, todos sonhavam com um jogo que fosse capaz de recriar o melhor de coisas como 
Dragon BallPower Rangers,Tartarugas Ninja ou as aventuras do Homem-Aranha.

Nos tempos que correm, existem cada vez mais meios para tornar este sonho realidade, mas a quantidade e qualidade dos mesmos nem sempre resultam numa adaptação de positva que consiga honrar os fãs e a série em si.

Felizmente para os fãs de Animes, os últimos esforços até correram bem, tendo sido lançados bons jogos de Dragon BallInazuma ElevenSaint Seiya e claro, Naruto. Depois de alguns jogos da franchise que deixavam algo a desejar, é comOne Piece Pirate Warriors que a Namco Bandai procura criar algo fiel à série sem deitar por terra qualidade. Será que vale a pena explorar os mares de Pirate Warriors?

Para este jogo, a Namco Bandai uniu esforços com a Omega Force e Koei, o que acaba por resultar num cruzamento entre algo como Dynasty Warriors e os recentes jogos de Naruto. Apesar de ser visto por muitos como uma fórmula gasta, não restam grandes dúvidas de que ainda consegue funcionar e divertir o jogador.

One Piece Pirate Warriors conta os grandes eventos da história de One Piece, desde o seu início em que Luffy e Zoro fazem amizade e salvam Nami do pirata Buggy, até ao momento do grande combate em Marine Ford.
Curiosamente a história começa já com Luffy e companhia em formato Sailing Again, mas isso não passa de uma introdução onde podem experimentar os poderes totais dos Straw Hat Pirates. Logo depois, somos brindados por um sistema de flashback onde as personagens recordam os grandes combates da sua equipa.

Mesmo não retractando todos os combates e eventos de forma meticulosa, One Piece Pirate Warriors consegue fazer um bom trabalho ao apanhar os momentos essenciais das aventuras destes piratas. Por isso podem contar com momentos épicos como o combate contra Arlong,Crocodile ou Kizaru.
Apesar de contar a história da primeira série e passar pelas várias zonas do mundo, One Piece Pirate Warriors não oferece qualquer tipo de ligação entre cenários. Cada um dos episódios da campanha tem direito a um cenário próprio que pode ser explorado dentro dos limites, sendo muito mais um estilo de corredores interligados do que arenas propriamente ditas. Mesmo sendo algo limitativo, os cenários ainda apresentam uma extensão significativa na maioria dos casos e usam uma clara inspiração das zonas da série que pretendem recriar.

O combate de One Piece Pirate Warriors recorre igualmente ao sistema de Dynasty Warriorsque coloca a nossa personagem frente a frente com uma multidão enorme de inimigos que precisam de derrotar dando uso aos ataques e habilidades da vossa personagem escolhida.
Embora a história dê sempre primazia a Luffy, vão poder utilizar os personagens da Crew, assim como outras personagens que podem desbloquear mais tarde.
O sistema de golpes também não foge em muito ao de Dynasty Warriors, mas é visível um grande trabalho feito para que cada combinação de botões resulte num ataque da personagem visto na série. Luffy recorre aos seus ataques Gum Gum que são vistos nos muitos episódios, assim como Zoro usa os seus tornados com as três espadas ou Sanji dá uso às habilidades com os pés. Isto ajuda a reduzir parte da repetição criada pelos controlos simplistas, mostrando ataques sempre diferentes entre cada uma das personagens.

Além dos ataques característicos de cada lutador, One Piece Pirate Warriors permite ainda que realizem acções específicas com cada uma das personagens. Por exemplo, Luffy consegue repelir balas de canhão usando o Gum Gum Baloon ou agarrar inimigos à distância com os braços elásticos. O melhor de tudo isto é que o sistema de combate permite que usem o botão de esquivo para criar brechas entre ataques e assim manter combos por mais tempo ou fugir ao golpe de um inimigo, deixando-o surpreendido e aberto a um contra-ataque.
Algo que não podia faltar em One Piece Pirate Warriors são os típicos pressionar de botões dos sistemas de Quick Time Events. Enquanto exploram os vários cenários do modo de história vão ter de atravessar zonas onde precisam de realizar uma combinação de botões para saltar entre mastros ou barcos e assim aceder a novas zonas.
O mesmo acontece em algumas cinemáticas ou combates contra bosses em que o jogo activa uma sequência de Quick Time Event que precisam de fazer o mais rapidamente possível para somar pontos que resultam na evolução da personagem.

Falando em evolução de personagens, também aqui podem contar com um sistema de progresso que é gerido de diversas formas. Para começar, no final de cada episódio a vossa personagem aumenta o seu valor de Wanted (recompensa), o que o faz subir de nível, ganhando novas estatísticas de combate e novos ataques.
Além desta evolução, vão encontrar espalhados pelos cenários ou no final da missão, várias moedas que podem equipar na vossa personagem. Cada moeda irá atribuir valores de ataque, defesa ou stamina, mas os efeitos podem alterar com a combinação entre várias moedas, desbloqueando extras em determinadas condições de combate.
Além do Main Log onde vivem a história principal, One Piece Pirate Warriors inclui ainda dois modos adicionais, o Another Log e o Challenge Mode, dois modos que aumentam a longevidade do jogo, embora de formas diferentes. No Challenge Mode vão ter de enfrentar exércitos intermináveis de inimigos e Bosses para obter a melhor pontuação possível e assim ascender em tabelas de ranking online.

Por outro lado, o Another Log muda um pouco as regras de jogo. Aqui vão poder passar pelos cenários da aventura sozinhos ou acompanhados, num sistema de conquista de territórios. Todos os participantes recebem experiência e Coins no final da aventura de forma a evoluir as suas personagens. O melhor é que podem também jogar online e ganhar ainda mais e melhores tesouros.
As partidas que fiz online correram sempre bem e sem problemas de lag ou ligações. A princípio os novatos vão estar bloqueados apenas a missões que tenham concluído, mas podem participar em sessões mais avançadas de outros jogadores.
Jogar online acaba por ser um excelente extra e uma forma de continuar a desenvolver as vossas personagens, sendo até possível formar uma Crew com os vossos amigos e ganhar pontos dessa forma.
Apesar de não usar o visual Cell-Shading típico de jogos baseados em AnimeOne Piece Pirate Warriors consegue fazer um trabalho soberbo ao recriar as personagens da série. Seja o modelo de LuffyNamiZoro ou dos restantes tripulantes, amigos e inimigos, tudo foi feito de forma exímia, onde nem as animações perdem qualidade ou parecem ser robóticas e as bocas abrem ao som das vozes de forma precisa.
Por outro lado, os cenários não brilham tanto como as personagens. É verdade que estamos bem longe dos cenários quase sempre iguais de Dynasty Warriors, mas além do que se vê no horizonte, os cenários são bastante vazios e sempre recheados de inimigos que sofrem do síndrome de fotocópia.
As cinemáticas por seu lado recorrem na sua maioria ao motor de jogo e mostram um trabalho feito a pensar nos fãs, com ataques, diálogos e lutas que chegam bem próximo de recriar o que foi visto na série.

No que toca aos diálogos, a Namco Bandai teve a decisão correcta de manter as vozes no seu original japonês, incluindo legendas em inglês. Foi sem sombra de dúvida a decisão mais correcta. Quanto à música e som, o resultado até é bastante positivo, embora não use a música da série. O ambiente de combate foi bem-criado, mas é em quase tudo igual ao que já foi utilizado milhares de vezes na série Dynasty Warriors.
Com horas e horas de diversão para oferecer aos fãs dos Straw Hat PiratesOne Piece Pirate Warriors acaba por ser uma aposta bem melhor do que seria de esperar. A jogabilidade pode ser repetitiva a longo prazo e a confusão no ecrã é tanta que é difícil acompanhar os diálogos que estão a decorrer. Porém, este é o jogo pelo qual os fãs estavam à espera e esses vão adorar reviver as aventuras de Luffy e companhia.

Fonte: Ezmygames
Compartilhar Google Plus

Sobre Mateus Araujo

    Comentar com Blogger
    Comentar com Facebook

0 comentários:

No trecho destacad